Quatro semanas depois de alcançar o melhor resultado da carreira, Jaime Faria volta a disputar as meias-finais de um torneio do ATP Challenger Tour, no mesmo tribunal central do Complexo de Ténis do Jamor. Nos quartos-de-final do Oeiras Open 4, o número três português, actual 233.º no ranking, derrotou o austríaco Dennis Novak (192.º), por 2-6, 6-4 e 6-0, garantindo a subida para o seu melhor ranking de sempre – provisoriamente para o 218.º lugar – e ficando muito perto de atingir mais um objectivo que tinha para esta semana: a entrada no qualificação fazer Wimbledon.

Novak desde cedo mostrou um ténis muito agressivo, nas respostas ao serviço e nas trocas do fundo do tribunale quando liderou o segundo definir por 4-1, o encontro parecia sentenciado. Mas o ex-85.º do ranking baixou o nível e abriu a porta a Faria que somou 11 jogos consecutivos.

“Já estava com a cabeça muito em baixo porque ele estava a fazer um encontro muito bem conseguido e a ser melhor do que eu em quase todos os aspectos, até que relaxou um bocadinho. Se calhar começou a pensar nas meias-finais, não sei. Acontece a todos, já me aconteceu há três semanas aqui”, disse o tenista de 20 anos.

Na meia-final (cerca das 13 horas), Faria vai defrontar o argentino Roman Andrés Burruchaga (149.º). “A única coisa que conheço é que é filho do antigo campeão mundial de futebol pela Argentina.”

No Internazionali BNL d’Italia, Tommy Paul (16.º) venceu Hubert Hurkacz (9.º), com os parciais de 7-5, 3-6 e 6-3. O campeão júnior de Roland-Garros de 2015 começou por liderar por 7-5, 2-0, antes que Hukacz reagisse. No definir decisivo, o polaco esteve, por duas vezes, em vantagem, mas Paul obteve sempre o contra-quebra e concluiu no quarto ponto que decide o jogoapós um jogo de 15 minutos em que anulou seis pontos de interrupção. Nas meias-finais do Masters 1000 italiano, o norte-americano defronta Nicolas Jarry (24.º) que anulou 11 de 13 pontos de interrupção para vencer Stefanos Tsitsipas (8.º), por 3-6, 7-5 e 6-4, ao fim de duas horas e 38 minutos.

Esta será a primeira vez que dois chilenos disputam as meias-finais de um Masters 1000 – desde a sua criação em 1990 – já que a outra meia-final opõe Alejandro Tabilo (32.º) ao alemão Alexander Zverev (5.º).

Fuente